A Copa do Mundo vem aí! É hora dos corretores estarem preparados para realizarem negócios a nível internacional, rompendo as fronteiras e praticando o comércio exterior. Uma das formas mais viáveis de buscar essa qualificação é realizar cursos práticos, rápidos, que possam contribuir para um aprendizado eficiente. Para isso nada melhor do que ter um especialista para transmitir os conhecimentos necessários. Entretanto, isto não dispensa que o corretor busque um curso de inglês mais duradouro, mas completo e será o “plus” para quem deseja aprofundar-se no mercado de outros países.

Além do curso de inglês, você vai poder aproveitar o XXV CONACI para fazer um excelente curso de negócios internacionais: o TRC

O curso Transnational Referral Certification, prepara os corretores de imóveis a desenvolver habilidades e conhecer os procedimentos adequados para encontrar parceiros de indicação, combinar remunerações, ampliar normas de atendimento ao cliente, recorrer a processos de arbitragem para resolver qualquer questão em litígio judicial, incluir as indicações internacionais em um plano de negócios, além de possibilitar a negociação de imóveis no exterior por meio de acesso a rede worldproperties.com

O curso será oferecido no dia 5 de maio, das 9h às 13h.

Carga Horária: 4h
Investimento: R$ 150,00.

INSTRUTOR: Laerte Temple

Diretor do Secovi-SP; professor universitário desde 1978, nas instituições FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) e PUC (pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Criador e coordenador do curso de Pós Graduação em Negócios Imobiliários, hoje MBA ministrado pela ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing. Criador e diretor da Universidade Secovi, pioneira no mercado imobiliário. Autor do Manual do Síndico, do Secovi-SP. Dentre outros cargos foi diretor da Faculdade de Administração da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), de 1992 a 1996, e coordenador de programas de pós graduação. Administrador, Advogado, Mestre em Administração pela PUC/SP e Doutor em Ciências Sociais – Relações Internacionais, pela PUC/SP. Docente especialista em Criatividade na Solução de Problemas pela Creative Education Foundation, USA.

Conteúdo Programático

-Benefícios do sistema de transações imobiliárias transacionais do ICREA;
-Práticas comerciais;
-A remuneração;
-Como realizar uma indicação quando você é o agente de derivação;
-Como realizar uma indicação quando você é o beneficiário;
-Foro de resolução de controvérsias;
-O trabalho em rede;
-Os primeiros passos: Como planejar as ações;
-Ferramentas e recursos.

Referral é a palavra em inglês que pode ser traduzida por “indicação”. Você aprenderá como fazer e como receber indicações de clientes para negócios internacionais e participará do rateio da comissão, ampliando suas possibilidades de negócios e de ganhos. O bem imóvel tem características locais, mas sua comercialização pode envolver clientes de qualquer parte do mundo.

 Esse portal é a área de negócios imobiliários via Internet do ICREA, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Associações Imobiliárias, organização da qual o Secovi-SP e a Fenaci são seus representantes exclusivos para todo o Brasil.
 Mais do que habilitá-lo às transações com clientes internacionais, você receberá uma designação e terá seu nome incluído no diretório de profissionais certificados, consultado diariamente por seus colegas de 30 países participantes.
Atualmente, são mais de 15.000 certificados ao redor do mundo, com participação de mais 20 países, entre eles: Estados Unidos, Canadá, França, México, Panamá, Portugal, Brasil e outros.
 Benefícios de ser um profissional com certificação TRC:
· Proporcionar um serviço essencial que resulta em cliente satisfeito;

· Clientes satisfeitos voltam quando precisam realizar mais negócios;
· Clientes satisfeitos dizem a seus amigos e familiares sobre você, gerando mais negócios;
· Você de destaca em seus negócios;
· Você recebe somente por indicar compradores ou vendedores que necessitam fazer negócios em outros mercados;
· Você recebe indicações qualificadas e em troca participa do rateio da comissão, ampliando sua possibilidade de ganhos de negócios;
· Você constrói reputação de sucesso e em conseqüência expande seus negócios, ganhando mais dinheiro.

CERTIFICADOS
 Nacional – Será fornecido pela Federação Nacional dos Corretores de Imóveis e Sindimóveis/AL, ao final do curso.
 Internacional – Será fornecido pelo ICREA no período de até 2 meses após o término do curso. O aluno receberá na sede do Sindicato ou via correios, mediante solicitação.
 

MATERIAL A SER DISPONIBILIZADO

Será fornecido (pasta, caneta, bloco de anotação, crachá e Apostila).
Inácio Júnior

Inácio Júnior

Eis o fato!
Nosso amadurecimento é consequência de nossas vivências e não existe possibilidade alguma de evitá-las. Sempre optamos por algo e este algo irá, certamente, ser causa de algum efeito, pois a partir do momento que escolhemos certa direção, escolhemos também certo efeito.

Da diversidade daquilo que vivenciamos faz parte algumas vivencias que gostaríamos de apagar, esquecer… Um pensamento não bem expresso, uma ação posteriormente reconhecida como inadequada, enfim, quase todos temos nossas feridas e provavelmente ferimos alguém, assim, é difícil encontrar quem não tenha ao menos ouvido (supondo que já não tenha ao menos pensado) o dito, “Tudo bem! Vamos começar do zero, então”.

Começar do zero?!

Bem, Primeiro tenho de tentar compreender as palavras…

Começar do zero me parece significar que, apesar do que foi feito até agora é possível alterar certas ações de modo a produzir outro resultado. Ou ainda que, o conjunto de vivencias sofridas até tal ponto me possibilita reconhecer que tal caminho não produz um resultado satisfatório… sendo assim, por vezes surge o desejo de se “começar do zero”…

No entanto, o que ficamos sem perceber é que com tal expressão excluímos as experiências do caminho, jogamos fora justamente o ingrediente necessário à nosso reconhecimento.

Não podemos “começar do zero”, pois no “zero” não tínhamos as vivencias que nos servem de auxílio para que possamos definir certo resultado como útil ou inútil. E se for mesmo assim, do “zero”, quem pode reclamar se o resultado obtido for o mesmo, de novo.

Por Inácio Jr.

Eliezer Andrade

Eliezer Andrade

Algumas pessoas têm afirmado que as  “tatuagens”  se tornaram uma questão polêmica em nossos dias, em razão de homens e mulheres desejarem marcar sua pele em algumas partes do corpo que, na visão de alguns, trata-se de uma  “obra de arte”.  A Enciclopédia Delta Universal assim explica:  “Tatuagem é a prática de pintar desenhos que permanecem no corpo humano.  Faz-se a tatuagem perfurando na pele pequenos e profundos furos que são enchidos com uma substância corante”.

A tatuagem se liga a crenças primitivas e em nossos dias ela continua como uma exploração da crendice popular.  Não deixa de ser um amuleto, funcionando como talismã contra os males, o que evidentemente, não produz qualquer efeito benéfico.  Não deixa de ser também uma agressão à pele, órgão delicado que recobre o corpo humano externamente, consistindo em epiderme e derme e pode causar infecções.

Perfurar na pele pequenos e profundos furos contraria um princípio bíblico que se encontra no terceiro livro de Moisés, chamado Levítico, elaborado como um manual para os primeiros sacerdotes de Israel, e a partir do capítulo 17, o livro trata da  “santidade diante de Deus como vida ética”,  incluindo o capítulo 19 com a repetição de diversas leis.  E é neste capítulo, no versículo 28, que se registra:  “Pelos mortos não ferireis a vossa carne;  nem fareis marca nenhuma sobre vós.  Eu sou o SENHOR”.  Este princípio bíblico está bem claro a respeito de se marcar o corpo com tatuagens e o cristão de maneira nenhuma deve aceitar tal prática como normal.  O apóstolo Paulo em I Coríntios 6.19, diz:  “Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?”  A Igreja do Senhor tem sido alvo de poderoso ataque do maligno e uma forma eficaz tem sido a introdução do mundanismo.

O apóstolo Paulo escrevendo aos filipenses, diz:  “para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”  (Filipenses 2.15).  Como luzeiros no mundo, o cristão deve proceder com hábitos moderados e bom senso diante desta geração perversa e corrupta.

Destarte, o comportamento bíblico sobre as tatuagens é o de completa rejeição, mesmo que uma delas traga versículos bíblicos.

Por Eliezer Andrade

Em 06 de outubro de 2013 o Rota 232 foi o primeiro a publicar uma informação mostrando que numa reunião na casa de Waldemar Borges, o prefeito Bruno Martiniano, afirmara que o seu candidato a presidente seria Eduardo Campos.

Leia a nota de 06.10.2013

Bruno PTB ou PSB

De um lado o PTB (Bruno Martiniano), de outro Fernando Resende (PSB). Esta situação verificada na prefeitura de Gravatá simboliza a dúvida que dizem existir no atual prefeito sobre com quem vai ficar nas eleições de 2014.

Assim a situação da foto pode ser estendida para o Estado ilustrando a situação do prefeito Bruno Martiniano a fim de questionar com quem Bruno fica e saber se vai apoiar para governador Armando Monteiro, candidato do seu partido ou se vai cometer infidelidade partidária e apoiar o candidato do governador Eduardo Campos.

Existem informações de que Bruno teria dito a um deputado estadual da base do governo que ficaria com o candidato de Eduardo Campos e que esta declaração teria gerado mal estar nas hostes petebistas que esperam contar com o apoio do atual prefeito.

Como em política tudo muda toda hora e com Bruno foi sempre assim é só lembrar que ele deixou Mendoncinha, saiu do PFL e veio para o PTB, portanto, é bem provável que ele saia do PTB e vá para o PSB. O único problema é com qual PSB ele quer ficar, se o dos Prequés, o de Denis e de Miaeiro ou o de Fernando Resende, amigo pessoal do prefeito.

Alguns comunicadores só agora estão divulgando este fato que já tínhamos mostrado a sete meses atrás.

Dizíamos também em outra matéria do Rota 232 que ele apoiaria Armando Monteiro para governador e Eduardo para presidente, montando dois palanques:

Leia a nota publicada em 01.11.2013

Bruno quer dois palanques um do PSB e outro do PTB

Informações de bastidores informam que o prefeito Bruno Martiniano de Gravatá voltou de suas férias adiantadas com a decisão política do que vai fazer nas próximas eleições. Durante a sua viagem ele conversou muito com seu secretário de governo sobre o que quer em 2014.

A intenção de Bruno é montar dois palanques um para o candidato a governador do seu partido o PTB, Armando Monteiro Filho e outro para o candidato a presidente Eduardo Campos do PSB. Com essa medida Bruno não se queimaria com Armando que o ajudou a chegar à prefeitura, nem com Eduardo que é o atual governador e está com a caneta na mão.

O que Bruno precisa é combinar isto com Armando e com Eduardo que estão cada dia mais afastados um do outro. O prefeito de Gravatá age com perspicácia, só que em política toda perspicácia é confudida com esperteza, mesmo que não seja.a

Volto a repetir ninguém serve a dois senhores ao mesmo tempo, porque há de agradar a um e desagradar a outro.

Bruno Martiniano pode deixar o palanque de Eduardo Campos

Política é política e muda a toda hora.

Agora falo de outra coisa, hoje, 04.04.2014, que Bruno pode deixar o palanque de Eduardo Campos para presidente porque não tem mais nada que o prenda ao ex-governador. Só o fiozinho de João Lira que pode se romper logo, logo e assim exigir dos prefeitos apoio a ele e não a Eduardo.

Como Bruno quer está perto de quem manda e quem manda hoje é João Lira e Dilma, então é provável que ele abandone o barco de Eduardo Campos e pule para o de Dilma. Isto vai agradar Armando Monteiro e ele vai fazer média com o PT nacional.

A única coisa que Bruno vai aguardar é o comportamento de João Lira que

estará claro dentro de dois meses. Portanto, Bruno pode até apoiar Waldemar Borges, mas Eduardo Campos já está na lista dos ex-apoiados pelo prefeito.

Quando Bruno decidir então os outros comunicadores vão repetir esta mesma história, como fizeram agora com a informação de que Bruno apoia Armando e Eduardo.

 Projetos:

Por falar em Armando Monteiro tá na hora de Bruno Martiniano listar os

projetos que o senador Aramando Monteiro já fez para Gravatá. As emendas

orçamentárias as liberações de verbas do governo federal, enfim o que ele já

fez por Gravatá para respaldar o voto dos gravataenses.

“Quer saber quem é o homem dê-lhe o poder”.

A frase não é minha, mas, serve como uma luva para a atual situação política de Pernambuco. Daqui a pouco Eduardo dá adeus ao poder e vai para a planície. A situação inverte e ele passa a ser dependente de João Lira que assume o governo.

Isto significa que muita gente que está (prefeitos, líderes políticos, etc., ) vão só esperar uma oportunidade para dar adeus a Eduardo  e seguir feito um cachorrinho o novo governador, sem importar se ele vai passar um mês ou um ano, o que interessa é o fisiologismo, é o aproveitamento e é isso que essa turma vai fazer.

Republico aqui uma nota minha publicada em 26.12 mostrando como pode ficar a situação de Eduardo por não ter escolhido João Lira, para ser o seu candidato e colocar um desconhecido à sua sucessão.

O melhor candidato para Eduardo Campos é João Lira

Em abril o governador Eduardo Campos (PSB) entrega o governo ao seu vice João Lira, para ser candidato a Presidente da República. Vai ter também que definir o nome que vai disputar a sua sucessão contra o senador Armando Monteiro Neto (PTB) que está aliado ao PT.

O grande problema do governador é que o vice João Lira quer ser o candidato escolhido, visto que vai ser governador de abril até dezembro e, portanto, seria o candidato natural à reeleição. Só que ele disputa internamente a preferência do governador com Fernando Bezerra Coelho, ex-ministro da Integração Nacional que também quer ser o candidato do PSB em 2014.

Ora o melhor candidato para Eduardo, é sem dúvida nenhuma o seu vice João Lira, embora o mais competitivo seja FBC.

Por que João Lira é o melhor? Porque ele estará com a caneta na mão e Eduardo já viveu dentro de casa um problema parecido. Em 1992 quando saiu seu avô Miguel Arraes, entregou o governo ao vice Carlos Wilson para disputar um mandato de deputado federal, este rompeu com aquele e trouxe muitos problemas à sucessão, levando o candidato da situação à derrota.

Outra vantagem que o governador leva caso escolha João Lira é que ele vai deixar uma porta aberta para 2018, caso se dê mal na eleição de presidente, podendo retornar como candidato a governador mais uma vez, já que Lira disputando a reeleição agora, não poderia ser candidato na próxima, o que seria uma solução ideal.

Cabe destacar que no acordo com Marina Silva, deve estar o compromisso de Eduardo acabar com a reeleição para presidente, estendendo o seu mandato para seis anos, caso saia vitorioso derrotando Dilma Roussef, candidata à reeleição pelo PT.

Caso Eduardo não escolha João Lira corre o risco do vice, alçado a condição de titular romper e abandonar a campanha de Eduardo a Presidente da República, apoiando a candidatura de Armando Monteiro (de forma branca, por debaixo dos panos), levando consequentemente o candidato do governador, FBC, a perder a eleição.

Pode ainda impor o seu nome e disputar a reeleição sem o apoio de Eduardo que aceitaria a contra gosto a decisão de João Lira, visto ser ele o governador e está com a caneta na mão, mas não se empenharia na campanha o que também colocaria em risco a vitória dos dois.

Caso o nome escolhido pelo governador para a sua sucessão seja o do ex-ministro, Fernando Bezerra, que foi indicado por Eduardo para o Planalto, está sendo escolhido sem nenhuma dúvida com base na sua recente visibilidade com ex-secretário do governo e ex-ministro de Dilma, mas que causará insatisfação no vice isto causará.

Portanto, se a lógica prevalecer o candidato à sucessão de Eduardo será João Lira, atual vice e governador de Pernambuco a partir de abril. O vice está só esperando a hora de sentar na cadeira, pegar a caneta como uma espada e gritar: “Reeleição para João Lira ou a vitória para Armando”

Em outra nota de 30.12 falei do mesmo tema. Eduardo devia escolher João Lira

João Lira é o melhor nome para suceder Eduardo Campos

Se Eduardo Campos não quiser complicar a sua vida tendo uma sucessão tranquila e fazendo uma campanha sem estresse para presidente deveria escolher o seu atual vice governador João Lira para ser o seu candidato à sucessão do governo.

Na cabeça João Lira, na vice Raul Henry do PMDB e para o senado Fernando Bezerra Coelho. Esta seria a chapa ideal para Eduardo Campos apresentar ao povo de Pernambuco, sem brigas, sem rompimentos e sem estragos na base de sustentação.

Qualquer outra opção vai gerar conflitos. Se escolher Fernando Bezerra, João Lira vai ter a caneta na mão e não vai gostar de ser preterido. Se optar por outro nome pior ainda, a ciumeira ao invés de um vai ser de dois; João Lira e Fernando Bezerra. Se não der a vice ao PMDB ou o senado para Jarbas, vai haver rompimento na certa.

Portanto, se quiser resolver a equação de forma exata como é a matemática João Lira é a decisão ideal.    

E assim daqui a pouco Eduardo Campos volta para a planície e aí sim vai ver o que é não ter a caneta na mão. Tudo pode mudar, inclusive nada.

Karina Maia, líder de operação de aquisições da Google Brasil, fala sobre comunicação digital no XXV Conaci

Hoje em dia, as pessoas se informam por meio da internet, seja para procurar uma promoção ou comprar um novo imóvel. Estar sempre presente quando o consumidor buscar por você é o que importa na decisão da compra. Quem não aparece on-line, não existe aos olhos do comprador.

O recado acima vem de Karina de Lima Maia, líder de operação de aquisições da Google Brasil, e de Pedro Nuno Grilo Marques Fernandes, líder sênior de operações de aquisições da empresa, que serão os apresentadores de uma das oficinas do XXV Conaci (Congresso Nacional de Corretores de Imóveis), que a Fenaci e o Sindimóveis-AL promovem , de 4 a 7 de maio, em Maceió, Alagoas.

Comunicação multimídia: soluções Google para o mercado imobiliário é o nome da oficina onde Karina e Pedro buscarão aproximar ainda mais o corretor de imóveis da chamada “Era Digital”, que estamos vivendo graças à internet  e à sofisticadíssima tecnologia de nossos dias.

“Nosso time dá suporte a clientes interessados em abrir uma nova conta de AdWords. Por um período máximo de três meses, podemos auxiliar na elaboração da estratégia on-line de seus anúncios, além de otimizar os resultados e educá-los em relação à ferramenta”, explica Karina, que é formada em publicidade e propaganda e está na Google desde 2011, gerenciando atualmente uma equipe de mais de cem pessoas.

MAIS PERTO DOS CLIENTES – O Google AdWords, ressalta Pedro Grilo, é a principal ferramenta de publicidade do Google. “Por meio dele – detalha – você pode mostrar seus anúncios a potenciais clientes, na Rede de Pesquisa, justamente quando eles estão pesquisando o que você oferece. Também é possível anunciar na Rede de Display, maior rede de publicidade do mundo e, no

Pedro Grilo, também da Google, mostrará no evento como aparecer on-line é importante para os negócios

Youtube, segundo maior buscador da Internet.”

Formado também em marketing e publicidade entre Lisboa (IADE) e o Rio de Janeiro (ESPM), Pedro, que é natural de Portugal, está na Google desde 2010, tende iniciado sua carreira em Dublin (sede europeia da empresa) na função de gestor de aquisição de negócios estratégicos. Em janeiro de 2012 mudou-se para o Google Brasil para assumir a função de líder sênior de operação de aquisições.

Para o corretor, segundo Karina e Pedro, as ferramentas que serão mostradas na apresentação são fontes importantes para trazer mais contatos qualificados e futuros compradores de imóveis, além de reforçar a sua imagem de marca.

INSCREVA-SE AGORA – Como você ou sua empresa estão em termos de inserção na Era Digital?  A apresentação dos dois especialistas do Google é uma das muitas razões para você fazer agora mesmo sua inscrição para o XXV Conaci.

Acesse conaci.com.br, vejas outras atrações do evento e se inscreva.

XXV Congresso Nacional de Corretores de Imóveis será realizado de 4 a 7 de maio, em Maceió, Alagoas, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso.

ciro_bottiniO locutor e apresentador Ciro Bottini (foto) será o palestrante da sétima oficina do XXV Conaci e falará sobre como o profissional da corretagem deve agir para ter sucesso nas suas vendas.

Todos nós devemos ter em mente que a capacitação nas técnicas de vendas é fundamental para quem trabalha com o público, particularmente para os corretores imobiliários que trabalham por comissão e por isso precisam ser eficientes na hora de comercializar seus produtos.

“LOC” é uma expressão que inventei para identificar o corretor e embasa as três necessidades fundamentais que ele tem para se dar bem no mercado: Liderança, Oratória e Comunicação. Muita gente confunde a comunicação com a oratória e muitas vezes misturam as bolas e terminam nem fazendo uma coisa nem outra.

Comunicação é o ato de encaminhar uma mensagem (emissor) através de um canal (meio) para um recebedor (receptor), ou seja trata do mecanismo, do modelo que se adota para se comunicar.

Já a Oratória trata do conteúdo da mensagem que se envia, cuida da forma, do jeito que a mensagem é enviada para o receptor. Neste processo é envolvido um conjunto de instrumentos, mecanismos, técnicas que faz a mensagem ser recebida com eficiência e gerar o que se espera: O retorno (feed back).

Por conta da carência do mercado que nãoc tem publicações para cursos, palestras, encontros, congressos voltados para a capacitação dos corretores é que a Rota 232 Comunicação Imobiliária estará lançando no XXV Conaci a Revista Corretor com o objetivo de atender a esta demanda destes profissionais.

Dessa forma em cada edição o corretor terá aulas “LOC” através da Revista Corretor, complementadas no site www.revistacorretor.com.br além de informações preciosas para a sua carreira.

Portanto, não perca o XXV Conaci que está cheio de novidades para os corretores imobiliários, acesse www.conaci.com.br e faça logo a sua inscrição.

Escrito por Severino Tomaz
Jornalista, Escritor e Corretor Imobiliário

XXV Conaci acontece de 4 a 7 de maio em Maceió - AL.

XXV Conaci acontece de 4 a 7 de maio em Maceió – AL.

Tem que corretor que não sabe falar, nem se apresentar e é por isso que perde muitas vendas

A área de comunicação é uma das prioritárias para o corretor e é a que ele muitas vezes não dá nenhuma atenção. O mundo mudou! Vivemos numa era tecnológica, onde a convergência digital é a diretriz que vem organizando internamente e externamente as ações de relacionamentos das empresas.

Dessa forma os corretores de uma maneira geral não estão investindo o tempo necessário em conhecer as ferramentas comunicacionais colocadas à sua disposição no mercado e nem estão participando de oficinas, treinamentos e work shops que tenham como pressuposto melhorar o desempenho dessa classe.

Como jornalista com especialização em Marketing e corretor imobiliário tenho convivido com essa carência dos corretores e por isso lançarei em breve o livro: “Escrever e Falar Bem em 7 Dias – Dicas Essenciais Para o Mercado Imobiliário” a fim de oferecer um produto inédito, para preencher uma lacuna no meio imobiliário que é a ausência no mercado editorial de obras que versem sobre comunicação e marketing.

Recentemente escrevi um artigo intitulado Você Sabe o Que é Um Corretossauro? Que agora transcrevo aqui:

Você sabe o que é um Corretossauro?

É um corretor desatualizado e ameaçado de ficar fora do mercado!

Escutei de um grande corretor imobiliário e presidente de um grande grupo imobiliário do meu estado, Pernambuco, a seguinte frase:

“Eu não estou nem aí pra esse negócio de tecnologia. Isso não funciona não, eu acredito é no olho, no olho, na forma que aprendi de atacar o cliente e convencê-lo a comprar o imóvel que estou vendendo. Eu sou um corretor do tempo da pedra”.

Esta situação me levou a refletir sobre a importância da tecnologia e da comunicação para o mundo moderno. Será que temos que estar conectados? Termos que participar de redes sociais? Estarmos plugados, conectados e usando o facebook, o twitter e outros foruns e espaços de troca de informações e experiências?

Será que precisamos criar sites, portais, malas de e-mails para poder vender nossos produtos e divulgar nossos serviços?Ou será que aquele cara está certo e poderemos viver como há vinte, trinta anos anos atrás, publicando alguns classificados nos jornais de domingo e colocando algumas placas nos empreendimentos que estão sob nosso cuidado?

A resposta para essas questões foi respondida lá em cima, no subtítulo: “Corretor desatualizado é corretor fora do mercado!”.

Quantos corretores mais antigos, já deixaram o mercado por falta de adaptação às novas formas de anunciar e vender? Ou ainda quantos destes, que não acreditam na tecnologia repassaram para seus filhos que acreditam e usam as novas mídias, o controle de suas empresas? Este é o exemplo daquele que disse que era do “Tempo da Pedra”. Ele não quer saber, mas passou a bola para os filhos e “pimba” a imobiliária dele é uma das mais tecnológicas do mercado local.

Para tirar essa dúvida fiz algumas pesquisas na internet constatei que aquele corretor que disse não querer saber de tecnologia, tem um belo portal na internet, seus filhos atualizam as páginas todos os dias, sua equipe de vendas tem facebook e outras redes, a sua empresa manda e-mails o tempo todo para os clientes e por aí segue o dia a dia do seu sucesso e do seu grupo imobiliário.

Ele, pessoalmente, pode não querer aprender a usar as ferramentas tecnológicas que estão à disposição do mercado, mas também não esquece de investir muito dinheiro para que sua empresa não fique fora desse mercado virtual.

Assim não adianta querer esconder o sol com a peneira, o mercado imobiliário necessita de corretores modernos que dominem ou que tenham pessoas para dominar o universo high-tech e por isso, precisam ter o seu site, participar de portais imobiliários, interagir com as redes sociais, anunciar na internet, além de atualizar-se e qualificar-se com cursos, palestras, oficinas  e seminários.

Portanto, não perca a oficina “Comunicação e Multimídia” que vai ser ministrada no XXV Conaci de 4 a 7 de maio em Maceió (www.conaci.com.br) e comece a entrar no mundo da tecnologia.

Conheça os palestrantes:

KARINA DE LIMA MAIA

karina lima marketing

Formada em Publicidade e Propaganda, com domínio adicional em empreendedorismo pela PUC RJ e pós-graduada em gerenciamento estratégico de marketing, pelo Insper SP. Suas experiências profissionais permeiam em start-up, consultoria e marketing digital, em empresas como Globo.com e Google Brasil, na qual está desde 2011 e atualmente assume a posição de Líder de Operação de Aquisições, gerenciando uma equipe de mais de 100 pessoas.

 

 

PEDRO NUNO GRILO MARQUES FERNANDES

 

pedro nuno google

Formado em Marketing e Publicidade entre Lisboa (IADE) e o Rio de Janeiro (ESPM), a sua carreira tem sido desenvolvida em Lisboa, Barcelona, Dublin e São Paulo, nas áreas de Marketing e Vendas, em setores como: Health&Fitness, CPG e Tecnologias de Informação. Na Google desde 2010, começou em Dublin (Sede europeia do Google) na função de Gestor de Aquisição de Negócios Estratégicos e em Janeiro de 2012 mudou-se para o Google Brasil para assumir a função de Líder Sênior de Operação de Aquisições.

Escrito por Tomaz de Aquino
jornalista, escritor, diretor de comunicação da Associação dos Corretores do Agreste,  Coordenador do Núcleo Imobiliário da Associação Comercial e Empresarial de Gravatá e membro da Academia de Letras e Artes de Gravatá. e-mail: tomazdeaquino@rota232.com.br

   Foi o austríaco Sigmund Freud, descobridor da psicanálise, o primeiro homem a passar a mente humana por um raio-X, obtendo êxito em seus complicados trabalhos.  De acordo com sua teoria a mente está dividida em três partes:

  – O inconsciente

- O Consciente e

- A Consciência

A essas três partes da mente, Freud deu nomes técnicos específicos, chamando o Inconsciente de Id;  o Consciente de Ego;  e a Consciência de Superego.  Para melhor entendimento, ele aplicou sua ideia a uma pequena casa, dizendo: o Inconsciente é o porão, andar subterrâneo; o Consciente é o andar principal onde vivemos e a Consciência é o censor moral ou sótão – a polícia.  É claro que o porão (Inconsciente) não é um lugar tão limpo ou nem sempre está em ordem e é onde guardamos tudo que não tem uso no momento.

Assim, o Inconsciente é o armazém dos nossos impulsos primitivos. É comum querermos atribuir ou justificar as nossas atitudes provocadas por esses impulsos alegando mal hereditário, pobreza, empecilhos, frustrações conjugais etc.  O fato é que maior parte das nossas tendências destruidoras está trancada no “porão” da nossa mente e quando o abrimos e deixamos esses impulsos tomarem liberdade, a sociedade sofre as consequências:  alguém é assassinado, um banco é assaltado ou uma mulher é estuprada.  Esclarecida esta parte, é possível entendermos porque é tão necessário o emprego de uma educação esmerada da sociedade, associada aos sadios princípios religiosos para que as pessoas sejam ensinadas desde criança a conter seus impulsos e não usá-los imprudente e deliberadamente.  Quando a luta para conter esses impulsos se torna vencida, quebrando os elos que os prendem, as pessoas se tornam emocionalmente doentes com manifestação de sintomas neuróticos que atuam como uma defesa contra a prática de alguma atitude errada.  Isto explica o porquê de tanta infelicidade ser traçada pela sociedade dada a falta de entendimento relativo à natureza e controle desses impulsos.

A razão de muita gente temer explorar e limpar os “porões” de suas mentes é o receio de que possa descobrir mais problemas.  Por sua vez, o Consciente que se conserva limpo, está à espera de que as pessoas se tornem polidas, bondosas e olhem para o lado bom da vida, deixando as asperezas, as trapaças, a mentira, a desconfiança e reajam de maneira digna, permitindo que o consciente domine o inconsciente evitando o desperdício de energia, ocupando a mente com os favores mais elevados da vida.  A Consciência foi criada para um viver harmonioso.  As pessoas bem ajustadas não viram as costas para o Inconsciente e nem zombam da sua Consciência porque aprenderam a não ter medo das ocasiões em que sua mente se dá ao luxo de se envolver com pensamentos impuros.

Para vivermos em paz com o nosso próximo é preciso, primeiramente, tentarmos viver em paz com nós mesmos e isto é uma luta constante entre a Consciência e o Inconsciente, onde os desejos reprimidos produzem um sentimento de frustração emocional e encoraja nossa fuga para uma doença neurótica. Se porventura o médico não conseguir encontrar a causa física dos seus distúrbios, pense na possibilidade de os mesmos serem psicossomáticos, como consequência de autopunição.  Creia que você apenas se prejudica quando se torna uma vítima voluntária de uma doença inexistente e procure encontrar o motivo oculto de seus distúrbios físicos. O melhor é tentar dominar os impulsos do Inconsciente e viver de Consciência limpa e tranquila.

Por Eliezer Andrade

Senhor Dinheiro diz que bolha estoura esse ano depois da Copa

sr.dinheiroLuís Carlos Ewald, conhecido como Sr. Dinheiro, recomenda: ‘não compre imóvel ou veículo em 2014’.

Em entrevista a Época NEGÓCIOS, o professor de finanças da FGV garante que grande parte das pessoas que compraram imóveis na planta está devolvendo os apartamentos. “A pessoa que recebeu as chaves e precisa financiar o que restou, vai perceber que as prestações vão ficar muito caras – a Taxa Selic (taxa básica de juros) está muito alta.

Sem condições [financeiras], ela vai querer vender o imóvel para a construtora, que não vai querer comprar. Ainda que a pessoa faça um desconto, as construtoras vão continuar não querendo. Os bancos estão cheios de imóveis devolvidos”.

Em sua visão, com uma maior oferta no mercado, os preços dos imóveis e dos veículos irão cair. Para imóveis comerciais, a regra é a mesma. De acordo com o professor, 30% das salas comerciais estão vazias no Brasil.

Para ele os investidores estão com medo do Brasil e a tendência é retirar daqui os investimentos e procurar outros mercados mais atrativos em outros países. Como o “dinheiro” não tem pátria vamos ver o que vai acontecer no XXV Conaci na oficina que vai discutir este tema.

Um Resumo do debate sobre a Bolha Imobiliária promovido pela Folha de São Paulo

A Folha de São Paulo promoveu um debate sobre bolha imobiliária, foram dois artigos, o professor da FGV WILLIAM EID JUNIOR defendendo que há bolha e o “super imparcial” PAULO SAFADY SIMÃO presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção defendendo que não há.

Começando pelo SIM… argumentos do Prof. Willian (adaptado por nós).

- a renda não acompanhou a valorização dos imóveis (a valorização não tem lastro em renda).

- o custo de produção dos imóveis não justifica o valor de venda (a margem de lucro está astronômica)

- a falta de informação sobre o mercado favorece os vendedores.

- bolhas não precisam estourar, podem murchar, o ajuste pode ser lento e gradual (é o que eu acho que pode acontecer no Brasil).

- o Nobel de Economia Robert Shiller afirmou que ha uma bolha no Brasil pois há uma grande valorização dos imóveis sem crescimento.

- o mercado para se adaptar aos preços absurdos passou a adquirir cada vez imóveis menores,  e como não há renda para compra de imóveis grandes, a venda de imóveis maiores está estagnada.

- a própria inflação está desmontando a bolha, segundo o banco central os imóveis valorizaram 8,3% em 2013, como a inflação foi de 6% houve uma valorização real de apenas 2% (e não 13% como aponta o Finge-zap).

- Há uma piora da economia, e o mercado imobiliário já está decaindo.

- O prof. acredita que em 2 anos não haverá mais bolha, ela terá sido desmontada.

Agora o não… do PAULO SAFADY:

- não há no Brasil condições necessárias para a formação de uma bolha (tipo… aumento enlouquecido do crédito imobiliário, vendas na planta com objetivo de lucro, compras para investimento e revenda com lucro, etc etc).

- O mercado imobiliário tem crescido e está sólido.

- nosso sistema financeiro é um dos mais seguros do mundo (mas já quebrou várias vezes… na década de 70, 80… e 90…).

- o financiamento imobiliário do Brasil equivale a 6% do PIB enquanto no dos EUA é 80% (e se você pegar em % do PIB tudo aqui é pouco porque a renda é concentrada e o país é pobre).

- 90% das pessoas que compram imóveis é para moradia, não para investimento (ah é… quem disse??).

- o que provocou o aumento dos preços foi uma combinação de falta de terrenos com aumento do crédito (olha… acabo de passar por São Paulo… e tem muito terreno ainda na volta hein…).

- Ao afinal diz que os que dizem que há bolha são irresponsáveis (tipo o prêmio nobel) e que querem tirar proveito pessoal da situação (obviamente ele não).

- e termina afirmando que o mercado está ótimo (kkkkkk).

Material editado pela Folha de São paulo

A Palestra Sobre Crédito Imobiliário no XXV Conaci

O palestrante será Teotônio Costa Resende, Diretor Executivo de Habitação da CAIXA ECONOMICA FEDERAL. Ele é mestre em Gestão e Estratégia de Negócios e graduado em Economia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis.

Esta será uma excelente oportunidade para os corretores tirarem suas dúvidas. Com ele os corretores terão a possibilidade de se inteirarem a respeito desses debates sobre “bolha imobiliária brasileira” para definirem as suas estratégias de médio e longo prazo.

Se no mês de junho vamos tocar a “Bola” a partir de julho vamos jogar com “Bolha”. Por isso nós corretores não podemos ficar na espera do pior, devemos nos preparar para uma situação que apresenta alguns riscos e para isso precisamos nos capacitar.

No XXV CONACI poderemos participar das oficinas e assim debatermos com esses grandes nomes que estarão presentes as perspectivas e as tendências desse mercado pós-copa. No encontro eles estarão trazendo as suas experiências e as suas visões de mercado para melhorarmos nossa performance no dia-a-dia da corretagem.

Saiba mais sobre o palestrante:

TEOTONIO COSTA REZENDE

teotonio costa

Atua no mercado financeiro há 39 anos, 33 dos quais na CAIXA ECONOMICA FEDERAL, sendo 32 no setor habitacional e de crédito imobiliário. Atualmente ocupa o cargo de Diretor Executivo de Habitação da CAIXA ECONOMICA FEDERAL. É mestre em Gestão e Estratégia de Negócios e graduado em Economia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis. É membro do Conselho Diretor da ABECIP, e membro dos Conselhos de Administração da CIBRASEC – Companhia Brasileira de Securitização, da BFRE – Brazilian Finance e Real Estate e da ENERGIIMP S.A.